Diversas

Adolescentes são capacitados para o mercado de trabalho

Os estudantes participarão do curso no contraturno escolar

Adolescentes são capacitados para o mercado de trabalho

A Fundação Carlos Joffre (FCJ), de Lages, iniciou o projeto “Inclusão Produtiva: Construindo Cidadania” junto à rede de educação básica municipal. Para isso, estará presente em duas unidades escolares durante este ano e a intenção é capacitar os adolescentes que desejam ingressar no Programa Jovem Aprendiz, podendo ser a porta de entrada para o mercado de trabalho.

Para este ano as Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs,) Pedro Cândido do bairro Boqueirão, e Santa Helena, do bairro Copacabana, foram contempladas e mais de 40 jovens participarão do projeto. O curso de capacitação terá 90 horas/aula e acontece até dezembro. De acordo com a Cláudia de Oliveira, coordenadora do Programa de Aprendizagem da FCJ, esta seria uma contrapartida da Fundação. “Essa parceria com o Município foi proposta no ano passado e desde então trabalhamos para implantar nas escolas. Com essa iniciativa, oportunizaremos aos jovens uma capacitação mínima para ingressarem ao mercado de trabalho, já que a falta de preparo é grande barreira que eles encontram”, explica.

As empresas parceiras da FCJ procuram por jovens que tenham preparo e conhecimento básico em softwares como o Pacote Office e a capacitação vem de encontro a essa necessidade. Os alunos frequentam o 9º ano do ensino fundamental, têm idade entre 14 e 17 anos e já podem ser incluídos no Programa de Aprendizagem. “Capacitando-os agora será mais fácil inseri-los no mercado de trabalho e, além da abordagem técnica, eles serão orientados sobre questões sociais, focando na sua realidade e nas portas que serão abertas futuramente”, conta Cláudia.

Os estudantes participarão do curso no contraturno escolar e, segundo a diretora auxiliar da Emeb Santa Helena, Silvia Regina da Silva, será mais uma maneira de manter os adolescentes longe das más influências, seja na rua ou nas redes sociais. “Tanto os alunos quanto os pais aceitaram essa iniciativa e de imediato aderiram ao projeto. Essa capacitação agregará muito valor e abrirá muitos caminhos aos nossos jovens”, comenta. A intenção da FCJ é dar prosseguimento ao projeto e estender a mais unidades escolares e aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de Lages.

Texto e fotos Silviane Brum

Galeria